ST 01 –  A perspectiva intercultural em estudos sobre língua(s) e linguagens

Descrição: O presente Simpósio objetiva refletir sobre estudos e pesquisas que tratam sobre diversidade linguística bidialetal, cultural, identitária, plurilíngue, políticas linguísticas e educacionais em contextos de língua nacional e estrangeira/adicional. Foca-se a diversidade linguística sob o enfoque cultural de interação comunicativa da língua portuguesa no contexto escolar, da competência linguística de línguas como língua franca em contato entre dois ou mais códigos linguísticos em comunidades de fala de imigrantes e seus descendentes e de fronteiras geográficas. A cultura enquanto instrumento de divulgação do conhecimento possibilita o desenvolvimento de estudos da diversidade, da competência linguística e da cultura, evidenciando entendimentos a partir de situações socioculturais, geográficas e históricas complexas sobre o bidialetalismo e o bilinguismo. Além de descrever e interpretar os caminhos utilizados sobre a pluralidade de usos linguísticos e culturais de línguas nacionais e estrangeiras/adicionais, como também das políticas linguísticas e educacionais. A partir dessa discussão, entende-se ser possível encontrar espaço para uma rediscussão sobre a diversidade linguística no contexto sociocultural escolar de ensino e de aprendizagem, especialmente no espaço contemporâneo de globalização vivenciado pela América Latina, haja vista as especificidades econômicas e socioculturais que a fundamentam.

Coordenadores: Laura Janaina Dias Amato (UNILA)


ST 02 – Saberes de desaprendizagens, Artes, Gênero e Sexualidade

Descrição: Este ST é a porta que abrimos para falar sobre desaprendizagens e lançar o desafio de pensar e repensar a dinâmica das relações culturais na contemporaneidade, propondo um debate que nos leve a refletir sobre a refundação de uma sociedade possível na perspectiva de um pensamento fronteiriço-queer, um debate produtivo para entender os efeitos da colonialidade do saber e os caminhos possíveis traçados por muitos pesquisadores no diálogo com saberes outros, de mundos e conhecimentos de outro modo (ESCOBAR, 2008), na construção mesmo de novos saberes. Neste ST, queremos entender como um conjunto de saberes e disposições políticas “empreendidos por feministas, gays, lésbicas, negros e negras, ou por sujeitos e grupos que rejeitam rótulos e títulos têm emergido questões, práticas, experiências que ousam subverter modos de vida e noções consagradas” (LOURO, 2012), que desafiam o monopólio de heranças clássicas de verdades únicas, masculinas, heterossexuais e brancas nas Artes. Desse modo, nos interessa trabalhos que discutam  a partir de categorias-chave que orientam esse queerer investigativo para, em seguida, pensar na potência desses “saberes de desaprendizagens” e suas contribuições estÉticas, caminhos de resistência e superação das perspectivas eurocêntricas de interpretação da realidade brasileira; subsídios fundamentais na reorganização e na reforma do pensamento social. Quando nos reportamos aos “saberes de desaprendizagem”, estamos falando de uma diversidade de posicionamentos políticos, teóricos e artístico-poÉticos tão diversos quanto potentes que dialogam sem limitação teórica ou interpretativa e se nutrem de forças políticas de enfrentamento a uma série de opressões sociais, culturais e epistemológicas construindo uma produção do conhecimento sempre aliada a projetos políticos e artístico-poÉticos decoloniais.

Coordenadores: Dr. Djalma Thürler (UFBA), Dr. Paulo César Garcia (UNEB) e Dra. Verônica Teixeira Marques (UNIT)


ST 03 – Repensar, Refletir, Interpretar e Reinterpretar a Memória, identidade e o patrimônio cultural da América Colonial

Descrição: Este simpósio busca uma aproximação entre memória, identidade e patrimônio na América Latina, abordando aspectos da história colonial. A proposta tem como objetivo possibilitar a discussão entre pesquisadores com foco na América portuguesa e espanhola. Os estudos dos povos originários, a ocupação dos espaço pelos portugueses e espanhóis.  Sendo importante congregar nestas discussões os diferentes saberes de todas as áreas do conhecimento.

Coordenadores: Dr. Ronaldo Bernardino Colvero (UNIPAMPA/UFPel), Dr. Alan Dutra de Melo (UNIPAMPA) e Dr. Edson Romário  Monteiro Paniagua (UNIPAMPA)


ST 04 – Políticas públicas, diversidade cultural e descolonização

Descrição: Este simpósio temático tem como objetivo reunir pesquisadores, ativistas e estudiosos das complexas relações entre as reafirmações identitárias, o diálogo intercultural e a construção da experiência da equidade. Nos interessa abrir espaço para o debate sobre as políticas públicas no campo da cultura, da educação, da comunicação, do meio-ambiente, do desenvolvimento social, e de outras áreas próximas, de modo a atualizar reflexões conceituais e análises de práticas relacionadas ao espaço latino-americano. O debate sobre a efetividade de políticas públicas de cunho nacional, regional e local na América Latina, oriundas de ações governamentais e não-governamentais, se mostra atual e necessário.

Voltadas ao reconhecimento da relação entre diversidade cultural e descolonização de perspectivas e práticas, tais análises e trocas de conhecimento, revelam-se ainda mais urgentes na atual conjuntura de golpes e retrocessos políticos e das sérias ameaças aos direitos historicamente conquistados pela sociedade em diversos países do continente. Por meio de Rodas de Conversa, acionadas por ideias, conceitos, pesquisas, experiências e propostas, este Simpósio pretende contribuir para um debate aberto e crítico a todos que se interessam pela temática da diversidade cultural e descolonização do conhecimento/pensamento e das práticas, e sua relação com as políticas públicas.

Coordenadores: Dr. José Marcio Barros (UEMG), Dr. Aníbal Orué Pozzo (UNILA) e Dr. Juan Ignacio Brizuela (UFBA/IEA-USP)


ST 05 – Desenvolvimento Regional Sustentável: meio ambiente, economia e cultura Sul-Sul

Descrição: O simpósio temático tem como escopo aprofundar a reflexão sobre as diversas modalidades de planejamento, de organização, de monitoramento e  de gestão das políticas ambientais, econômicas e culturais e como elas podem contribuir para o desenvolvimento sustentável da região.

A proposta é criar um espaço interdisciplinar sobre a necessidade de repensar o aproveitamento sustentável dos recursos naturais, econômicos e culturais na região e seus atores, focando geograficamente e epistemologicamente no aspecto Sul-Sul.

Coordenadores: Dra. Cristiane Dambrós (CLAEC)


ST 06 – Raízes e razões da violência contra os povos originários na América latina 

Descrição: Para compreender a violência contemporânea contra os Povos Indígenas na América Latina, faz-se necessário partir de uma análise sistêmica e de longa duração, considerando que a mesma incida fundamentalmente sobre a territorialidade dos povos originários, seja nos conflitos e disputas pela terra e por recursos, seja nos processos que dificultam o reconhecimento permanente dos povos indígenas enquanto sujeitos políticos, dotados de especificidades culturais. Entre as diversas perspectivas que permitem a análise dos dilemas vividos pelos povos na região, destacam-se autores historicamente identificados como indigenistas, e, mais recentemente, aqueles identificados com a noção de Colonialidade do Poder, que acentuam a presença do epistemicídio e a necessidade de desconstruir, de forma radical o pensamento eurocêntrico que está envolvido nestes processos. Também se destaca a perspectiva marxista, que enfatiza a especificidade das formações históricas latino-americanas, exterminando, explorando e subjugando as populações originárias desde a Conquista, em um contínuo processo de expropriação de terras e territórios. Assim não obstante os avanços decorrentes da inscrição de direitos nas Constituições Nacionais e na legislação internacional, a violência, nesta perspectiva, permeia a ação do Estado, ao mesmo tempo em que cresce no continente a organização autônoma dos indígenas e o apoio de setores sociais não-hegemônicos a suas lutas e projetos, sinalizando, na contracorrente da violência e da barbárie, a possibilidade de novas perspectivas societárias que incluem e dialogam com a experiência histórica, cultural, cosmológica e epistemológica destes povos. Neste Simpósio, serão bem vindos trabalhos que se debrucem sobre casos específicos de formas de violência e de conflito, bem como reflexões teóricas relacionadas ao movimento indígena, sejam estas identificadas com as perspectivas teóricas proposta ou outras que contribuam para o avanço da análise da questão indígena e os desafios que esta apresenta no mundo contemporâneo.

Coordenadores: Dr. Clovis Antonio Brighenti (UNILA) e Dra. Carmen Susana Tornquist (UDESC-SC/PPGPLAN)


ST 07 – Experiências com a arte na organização da cultura

Descrição: Intenciona-se neste Simpósio criar um espaço interdisciplinar de trocas e fortalecimento acerca da importância do trabalho com a arte nas dinâmicas de organização social da cultura. Desta forma, ele pretende reunir produções que consigam apresentar relatos e análises de experiências que vinculem a arte ao trabalho institucional com políticas públicas, concebendo-a como uma mediação que, inserida planejadamente em disputas políticas hegemônicas, seja capaz de gerar contribuições a projetos sociais de caráter emancipatório. Interessam também apresentações que estabeleçam relações entre as esferas da ética, da política, da economia, onde os sentidos humanos, acessados pelo trabalho com a arte, sejam considerados parte integrante de atividades teóricas, em processos de pesquisa e produção de conhecimentos acerca da realidade social. Além disto, serão bem vindas e bem recebidas abordagens que, mesmo não se enquadrando diretamente nestes propósitos, estabeleçam algum nível de diálogo com eles.

Coordenadores: Dra. Isabel Cristina Chaves Lopes (UFF)


ST 08 – Diálogos interculturais de fronteiras: perspectivas teóricas e experiências compartilhadas

Descrição: Este simpósio receberá trabalhos que abordem fluxos socioculturais em regiões de fronteira. As fronteiras são compreendidas além dos aspectos geopolíticos e comerciais, conformando regiões de trocas simbólicas e sistemas culturais que assumem dinâmicas próprias, diferenciadas daquelas que são características dos países vizinhos. Ao falar em culturas híbridas, Canclini dá especial atenção às regiões de fronteira. Dentro da perspectiva cultural e atuação dos sujeitos fronteiriços, muitos aspectos do cotidiano das fronteiras, como a violência e a militarização, são ressignificados e passam a desencadear processos criativos e libertadores que mobilizam novos sujeitos e transformam o cenário. A perspectiva de transnacionalismo e bifocalidade de Vertovec também contribui para perceber os fluxos culturais em regiões de fronteira. Não obstante, as dinâmicas geopolíticas e socioculturais guardam diversidade em cada região de fronteira, o que mostra a importância dos diálogos de fronteiras como exercício de comparação e troca de experiências. Serão recebidos trabalhos que abordem perspectivas teóricas e metodológicas para o estudo das regiões de fronteira, assim como trabalhos que retratem experiências de pesquisa e/ou ação cultural em regiões de fronteira da América Latina.

Coordenadores: Dr. Júlio da Silveira Moreira (Unila)


ST 09 – Jovens Pesquisadores Latino-americanos (Graduandos) – Temática Livre

Descrição: O Simpósio Temático tem como foco a apresentação de resumos expandidos por estudantes de graduação, com temática livre, mas que dialoguem diretamente com os objetivos do SEMLACult. Os textos submetidos serão avaliados e agrupados por aproximação temática, metodológica e/ou conceitual, valorizando as afinidades entre os textos, promovendo assim um debate qualificado nas seções de apresentação. Os trabalhos serão avaliados pelo Comitê Científico do evento e também por pesquisadores convidados e as seções de apresentação serão coordenadas por membros do Comitê e por pós-graduandos.

Coordenadores: Comitê Científico e discentes de pós-graduação.


ST 10 – Comunicação, narrativas audiovisuais e semiótica

Descrição:  A proposta é pensar a cultura por meio de construções de narrativas audiovisuais aplicadas em suas diversas linguagens, seus significados simbólicos e as suas produções sociais. Também buscamos discutir pesquisas que trabalhem com os variados conceitos aplicados a semiótica, análise de discurso e as diversas linguagens, por meio de análises comunicativas nas diversas culturas latino-americanas. Entende-se aqui comunicação e linguagem como constitutivas tanto das identidades socioculturais quanto das subjetividades. E a necessidade de se observar a comunicação de massa pela via da cultura como possibilidade de emancipação dos domínios hegemônicos midiáticos.

Coordenadoras: Ma. Vanessa Calvo Guerra (UEPG)


ST 11 – Relações Étnico-Raciais na América Latina: debates interseccionais na diáspora

Descrição: O contexto histórico de deslocamentos forçados resultantes da escravização e a ausência do Estado na definição de políticas voltadas para estas populações no final do período escravocrata criam desigualdades e geram fluxos migratórios nacionais e internacionais que permanecem no presente. Atualmente, a ausência de políticas públicas com recorte racial faz persistir e aumentar os índices de desigualdade que atingem de forma contundente as populações negras da América Latina. Nesse sentido, esse simpósio pretende abordar as Relações Étnico-Raciais a partir de uma perspectiva interseccional (raça, gênero, classe). O objetivo é receber trabalhos que atuem na área acadêmica, mas também nos movimentos sociais e na educação pública, abrangendo investigações de docentes da rede pública estadual e municipal referentes aos enfrentamentos ao racismo dentro do ambiente escolar e a relação que estabelecem com os movimentos sociais e os diversos setores que representam as populações negras. A intenção é agrupar investigações com distintas abordagens que versem sobre as relações étnico-raciais no âmbito das políticas públicas e desigualdades, a fim de fomentar ampla discussão acerca da situação da população negra/ afrodescendente na América Latina e, também, dialogar com pesquisas que atuem em diferentes setores da sociedade e que reflitam sobre a diáspora negra a partir das mais distintas formas de resistência e luta contra a discriminação racial, seja no âmbito das políticas públicas, da implementação das Leis 10.639/03 e 11.645/08 na educação, das Ações Afirmativas e nas diversas pesquisas que abordem as distintas formas de atuação da população negra como ato de resistência.

Coordenadores: 


ST 12 –  Cultura, Fronteira e Relações Internacionais

Descrição: Este ST visa à reflexão da cultura nas relações internacionais. Em especial, o interesse se dá no espaço da América Latina, no uso dos espaços e nos sentidos que são produzidos. Tais espaços citados são constituídos de múltiplas vozes, formando, assim um território de intercâmbio cultural. Nessa perspectiva, temos uma socialização de informações das mais diversas áreas do conhecimento, tanto do erudito quando do popular, que se torna visível através de estudos que entendem a cultura como instrumento de soft power nas relações internacionais.

Coordenadores: Dra. Maria de Fátima Bento Ribeiro (UFPel), Dra. Ângela Mara Bento Ribeiro (UNIPAMPA) e Dra. Naiara  Souza da Silva (UCPel)


ST 13 –  Governança da diversidade e inclusão: contribuições para o Bem Viver

Descrição: A proposta do ST é debater abordagens e resultados de pesquisas que versem sobre da governança da diversidade e inclusão e o Bem Viver, alinhadas a políticas não discriminatórias e redução das desigualdades, foco de esforços da Organizações das Nações Unidas (ONU), por meio dos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). Conectado com o ODS 10 – Redução das desigualdades, tem-se a meta de até 2030, empoderar e promover a inclusão social, econômica e política de todos, independentemente da idade, gênero, deficiência, raça, etnia, origem, religião, condição econômica ou outra. A diversidade está ligada a ideia de um conjunto de pessoas com identidades diferentes convivendo no mesmo cenário social. A inclusão é o esforço envolvendo uma série de iniciativas e políticas para proporcionar igualdade de oportunidades para pessoas diferentes. Portanto a governança da diversidade e inclusão é uma reflexão que deve permear as práticas de gestão em diferentes níveis, e em diversificadas instâncias. A proposta nos aproxima do Bem Viver, que reconhece a coletividade e a diversidade de indivíduos, como forma de propor alternativas para que organizações e sociedade se comprometam com a sustentabilidade ambiental, econômica e social para o alcance do ODS 10.

Coordenadores: Dra. Liliane Cristine Schlemer Alcântara (UFSCar/PPGTU) e Dra. Isabel Jurema Grimm (ISAE-PR)


ST 14 –  Diálogos interdisciplinares, filosóficos e metodológicos sobre a(s) cultura(s)

Descrição: Este simpósio busca estabelecer diálogos entre as diversas áreas, com foco nas Ciências Sociais Aplicadas, reunindo campos de conhecimento interdisciplinares, voltados para os aspectos sociais das diversas realidades humanas e suas dimensões culturais. A interdisciplinaridade, como área do conhecimento, configura-se como uma forma de envolver diferentes perspectivas para a investigação científica, a produção de tecnologia e a intervenção social sob todas as demais áreas.  Sabe-se que as práticas culturais, como expressões de vivências e reprodução de valores e significados, são reflexos da história da humanidade, suas técnicas e tecnologias, adentrando em suas especificidades. Entre outros aspectos, busca-se a confluência de estudos sobre as vivências em sociedade, refletindo sobre as questões, processos e possibilidades de mudanças de paradigmas. Trata-se um ambiente para múltiplas abordagens da(s) cultura(s) sob os olhares do design, da arte, da arquitetura, das engenharias, turismo, comunicação, informação, das ciências sociais, humanas entre outras.

Coordenadores: Dra. Nadja Maria Mourão (UEMG)


ST 15 – (Des)vendando as relações entre Arte, Tecnologia e Sociedade

Descrição: O simpósio reúne pesquisas que refletem sobre questões relacionadas aos conceitos plurais de arte, tecnologia e sociedade, além de salientar as dissidências nas produções de visualidades contemporâneas. Nesse sentido, dá a ver os objetos de investigação em relação aos modos de pensar a arte, a cultura, a ciência, a tecnologia e as narrativas possíveis para todas as interações dos seus fazeres e saberes. A discussão tem a particularidade de reatualizar e (des)vendar o que pode definir-se enquanto narrativas outras no campo da arte em diálogo com outras áreas de conhecimento. Às vezes inusitadas, essas narrativas acabam por se consolidar pelos artefatos, pelas mediações, perceptíveis em suas vertentes históricas, poéticas ou alegóricas postas diante do limiar sensível, tomando conta dos demais contextos sociais, políticos, educacionais e culturais. As contribuições de investigações, portanto, podem ser desenvolvidas nas diversas áreas e interações de pesquisas acadêmicas.

Coordenadores: Dra. Rosa Amélia Barbosa (IFSP) e Ma. Luana Karoliny Desconci (IFSP)


ST 16 – Cultura digital, Pedagogias Culturais e subjetividades na contemporaneidade

Descrição: Esse simpósio objetiva reunir estudos e resultados de pesquisas que discutam a relação das culturas digitais com a produção de subjetividades na contemporaneidade. Ampara-se nos Estudos Culturais e na ferramenta teórica Pedagogias Culturais e em seu diálogo com a Comunicação e a Educação. Espera-se contribuir ao debate sobre a cultura digital, as redes sociais e seus impactos na produção de subjetividades mediadas pelo consumo cultural, bem como a análise de novos atores sociais no campo da Educação e da Comunicação.

Coordenadores: Dr. Lucas da Silva Martinez (CLAEC)


ST 17 – Educação e relações interculturais na América Latina

Descrição:

Coordenadores: Dra. Ana Cristina da Silva Rodrigues (UNIPAMPA)


ST 18 –  O papel das religiões na construção das identidades latino-americanas

Descrição:

Coordenadores:


ST 19 – As infâncias e juventudes na América Latina contemporânea

Descrição:

Coordenadores: Dra. Mariana Cortez (UNILA)


ST 20 – Produção e gestão cultural latino-americana

Descrição:

Coordenadores:


ST 21 – As relações entre meio ambiente e cultura

Descrição:

Coordenadores:


SERÃO ESCOLHIDOS EM CADA SIMPÓSIO TEMÁTICO, ATÉ DOIS TRABALHOS DESTAQUES SELECIONADOS PELOS COORDENADORES. OS DESTAQUES RECEBERÃO CERTIFICADO PERSONALIZADO E UMA PUBLICAÇÃO EXCLUSIVA EM FORMATO DE DOSSIÊ NA RELACULT – REVISTA LATINO-AMERICANA DE ESTUDOS EM CULTURA E SOCIEDADE (QUALIS B2), A SER LANÇADA JUNTO COM A PUBLICAÇÃO DOS ANAIS.