16/09/2019

Cidades Plurais: interseccionalidades e novas abordagens das questões urbanas

Esta proposta visa abordar a questão das cidades, das conceituações do urbano e dos cruzamentos interseccionais com raça, gênero e sexualidade no debate contemporâneo a  partir de diferentes áreas de conhecimento, de pautas dos movimentos sociais e mobilizações on e off line. Pretendemos oferecer subsídio teórico sobre o tema em geral trazendo contribuições de diferentes áreas do conhecimento, com foco em especial na forma como sociólogos/as e antropólogos/as têm se referido às cidades. Contudo, nos interessa cruzar o debate com as abordagens da geografia e a arquitetura, por exemplo, tensionando uma ideia geral de cidade com as provocações das teorias feministas e feministas negras, bem como das geografias feminista e das sexualidades. O objetivo principal é cruzar tais abordagens a partir do debate atual sobre o “direito à cidade”, suas limitações nos contextos urbanos liberais e neo-liberais e as disputas transnacionais travadas no campo das ideias e das intervenções espaciais.

Objetivo:

Pretende-se oferecer subsídios para a conceituação das cidades e do urbano à luz das contribuições da sociologia e da antropologia, bem como de áreas correlatas, cruzando tais abordagens com as formas como as teorias feministas têm questionado a as possibilidades de usufruto e interferência nas políticas urbanas. Partimos da noção clássica de “direito à cidade” em razão do uso difundido da expressão, em especial a partir de movimentos sociais que questionam e/ou propõem políticas e práticas garantidoras da cidade para todas as pessoas, ou seja, sem exclusão ou discriminação.

Tal abordagem pretende criar um espaço de reflexão sobre nossos próprios contextos de circulação e vivência, potencializando resultados significativos tanto para a produção do conhecimento quanto para a ação coletiva.

Destinatários:

Esta formação é destinada a pessoas interessadas em geral, em especial estudantes de cursos correlatos, tais como Ciências Sociais, Geografia, Arquitetura e Urbanismo, bem como participantes de movimentos sociais urbanos ou cujo tema interesse às suas reflexões.

Docente:

Prof. Dr. Bruno Pucinnelli [Currículo Lattes]

Doutor em Ciências Sociais pela Universidade Estadual de Campinas – Unicamp, Mestre em Ciências Sociais pela Universidade Federal de São Paulo – Unifesp – e Bacharel em Ciências Sociais pela Universidade de São Paulo – USP – tem refletido sobre a produção social do espaço, tendo realizado campo no contexto de grandes cidades e suas centralidades. Tem contribuído para o debate sobre espaço, gênero e sexualidades com uma produção bibliográfica crescente, com três artigos publicados em periódicos de outros países, e diversos Grupos de Trabalho em eventos internacionais. Faz parte de núcleos, grupos de pesquisa e redes de investigação que refletem tais temas, como o PAGU (Núcleo de Estudos de Gênero), o VISURB (Grupo de Pesquisas Visuais e Urbanas), do GEAC (Grupo de Estudos de Antropologia da Cidade), o NUDHES (Núcleo de Pesquisa em Direitos Humanos e Saúde LGBT da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo) e a RGGSILA (Rede de Estudos de Geografia, Género e Sexualidade Ibero Latino-Americana). É um dos fundadores do MAPÔ – Núcleo Interdisciplinar de Estudos de Gênero, Raça e Sexualidades da Unifesp, responsável pela realização de três Semanas de Gênero e Sexualidades da Unifeso (SeGenSex) e também um dos fundadores da Pensata – Revista dos alunos de Pós-graduação em Ciências Sociais da Unifesp (ISSN: 2237-678X).

Código de área do conhecimento (CNPq):

7.00.00.00-0 Ciências Humanas
7.02.04.00-4 Sociologia Urbana

Palavras chave:

Cidade; Interseccionalidade; Feminismo; Direito à Cidade; Sexualidade.

Ementa:

[Aula 1]
A concepção de cidade

Objetivo:
Abordar a ideia de cidade a partir de seus condicionantes históricos, sociológicos e políticos.

Bibliografia:
WEBER, Max. “Conceito e Categorias da Cidade”. In: Economia e Sociedade. Brasília: Editora da UnB; São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 1999, pp. 408 – 225.


[Aula 2]
A noção de direito à cidade

Objetivo:
Discutir a ideia de direito à cidade e a concepção de cidade a partir da obra homônima de Henri Lefebvre.

Bibliografia:
LEFEBVRE, Henri. O direito à cidade. São Paulo: Centauro Editora, 2011.


[Aula 3]
Tensionamentos do direito à cidade

Objetivo:
Trazer as reflexões contemporâneas sobre os usos da noção de direito à cidade frente às disputas políticas na contemporaneidade.

Bibliografia:
HARVEY, David. Cidades Rebeldes: do direito à cidade à revolução urbana. São Paulo: Martins Fontes – selo Martins, 2014.


[Aula 4]
Brasil, 2013: Ruas ocupadas

Objetivo:
Analisar o contexto das grandes mobilizações de junho de 2013 que trouxeram consequências importantes para o cenário político brasileiro nos anos seguintes e suas correlações com outros contextos nacionais, atentando para o trânsito on-offline.

Bibliografia:
MORAES, Alana (et al). Junho: potência das ruas e das redes. São Paulo: Friedrich Ebert Stiftung, 2014.


[Aula 5]
Cidade, espaço e produção social

Objetivo:
Discutir, a partir da geografia feminista, a noção de cidade à luz dos sentidos produzidos pelas pessoas em contextos específicos, auxiliando na compreensão de ser sempre o lugar das disputas políticas.

Bibliografia:
MASSEY, Doreen. Pelo Espaço: uma nova política da espacialidade. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2008.


[Aula 6]
A cidade inquirida: periferias, mobilidade e questões raciais

Objetivo:
Debater a questão das periferias urbanas na contestação das cidades brasileiras ao longo do século XX com atenção especial às conformações raciais e possibilidades de inserção social.

Bibliografia:
FELTRAN, Gabriel. Fronteiras de Tensão: política e violência nas periferias de São Paulo. São Paulo: Editora Unesp, 2017.


[Aula 7]
A cidade exposta: gênero, sexualidades e moralidades

Objetivo:
Cruzar as diferentes abordagens sobre gênero, sexualidades e moralidades que têm repensado o espaço urbano e os sujeitos que podem circular por ele com especial ênfase para as identidades, conflitos e violências.

Bibliografia:
SABSAY, Leticia. Fronteras Sexuales: espacio urbano, cuerpo e cidadanía. Buenos Aires: Paidós, 2011.


[Aula 8]
Cruzando Fronteiras: cidade e interseccionalidades

Objetivo:
A discussão sobre as interseccionalidades têm ganhado espaço no debate acadêmico e social ao apontar a necessidade de reflexão conjunta de diferentes áreas temáticas na compreensão dos contextos analisados.
Esse último encontro visa propor um exercício conjunto de cruzamento das abordagens trazidas ao longo da formação a partir do premiado ensaio de Preciado sobre cultura urbana, sexualidade e arquitetura no século XX.

Bibliografia:
PRECIADO, Paul (Beatriz). Pornotopía: arquitectura y sexualidade em “Playboy” durante la guerra fría. Barcelona: Anagrama, 2010.


Cronograma:

Inscrições:
De 12/05/2020 (Terça-feira) a 31/07/2020 (Sexta-feira)

Curso:
De 03/08/2020 (Segunda-feira) a 28/09/2020 (Segunda-Feira)

+ info via WhatsApp

+ info via Facebook Messenger

Reservar vaga