Grupos de Trabalhos

01-FORMAÇÃO ACADÊMICA, EDUCAÇÃO, POLÍTICA E SOCIEDADE

Coordenadores: Dra. Ana Cristina Rodrigues e Dra. Paula Selbach

Proposta: O Grupo visa discutir a educação sob múltiplos aspectos, compreendendo as políticas públicas, universidade, práticas educacionais, imaginário social, história e memória.  A profissão professor no contexto atual, seus dilemas e desafios. Trabalhos de ensino, pesquisa e extensão que dialoguem sobre novas perspectivas nas Ciências humanas, bem como o Programa de Educação Tutorial – PET, o Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência – PIBID e o Programa Idiomas sem Fronteiras – IsF, pensando como esses atuam e de que forma contribuem na formação educacional. 

02-ESTUDOS DE GÊNERO, FEMINISMO E SEXUALIDADES

Coordenadores: Dra. Raquel Quadrado e Dra. Cassiane de Freitas Paixão

Proposta: Este grupo de trabalho propõe a discussão a partir de resultados de pesquisas teóricas e empíricas que abordam relações de gênero, feminismo e sexualidades, consideradas em sua interseccionalidade com questões étnico-raciais, de classe e geracionais. Entendemos que as vulnerabilidades sociais, bem como as formas de preconceito e discriminação, ocorrem de forma diferenciada em grupos com diferentes marcadores identitários, de modo que se tornam potentes análises que incorporem recortes interseccionais. Também buscamos discutir pesquisas que analisem diferentes artefatos culturais (programas televisivos, livros, filmes, anúncios publicitários, músicas, dentre outros), entendendo-os como portadores de pedagogias, que ensinam modos de ser e de viver os gêneros, as sexualidades e as relações étnico-raciais. 

03-HISTÓRIA, MEMÓRIA E IDENTIDADES

Coordenadores: Dr. Ronaldo Bernardino Colveiro, Dra. Hilda Jaqueline Fraga e Me. Alan Dutra de Melo 

Proposta: O objetivo é estabelecer aproximações entre a história, Memoria e Identidade elementos importantes na compreensão das sociedades de Fronteiras. As relações de poder instituída ao longo do tempo pelas Elites alteraram as relações entre estado e sociedade estabelecendo um novo contexto social nestas regiões. As Políticas Públicas em regiões de fronteiras necessitam de uma melhor compreensão da realidade social para isto é importante congregar nestas discussões os diferentes saberes de todas as áreas do conhecimento. 

04-LITERATURA, LINGUAGENS E ARTES

Coordenadores: Dra. Ana Boessio, Dra. Geice Peres, Dra. Luciana Domingo e Dra. Ida Maria Marins 

Proposta: Este grupo de trabalho procura abranger diversos enfoques que compreendam contextos sociais baseados em literaturas (nacionais e estrangeiras), audiovisual, linguística e artes plásticas. Representações de totalidades sociais em histórias fictícias e documentais. Compreensão da coletividade em obras/produtos culturais baseados em conceitos dos estudos culturais e da indústria cultural e Produção de conhecimento multidisciplinar na área de linguística e literatura.

05-TURISMO E PATRIMÔNIO CULTURAL

Coordenadores: Me. Alexandre Caldeirão e Me. Alice Leoti

Proposta: Este grupo propõe abranger os diversos estudos e pesquisas a partir do turismo cultural que se transforma pela influência do patrimônio local. Busca pesquisas com o intuito de apresentar o patrimônio como agente transformador do meio social em que está inserido. E também o turismo como vetor de mudança na sociedade

06-CULTURA, FRONTEIRA E RELAÇÕES INTERNACIONAIS

Coordenadores: Dra. Maria de Fátima Bento Ribeiro , Ma. Ângela Mara Bento Ribeiro e Ma. Naiara  Souza da Silva.

Proposta: Este grupo visa trabalhar discussões contemporâneas que envolvem questões culturais tais como: Identidade, território, diáspora, nação, fronteira, migração, hibridismo, multiculturalidade, interculturalidade e cultura popular

07-CIÊNCIAS, HUMANAS, AMBIENTE E EDUCAÇÃO AMBIENTAL POPULAR

Coordenadores: Dr. Vilmar Alves Pereira, Dra. Simone Freire, Me. Everton Fêrrêr de Oliveira , Ma. Lisiane Claro e Ma. Marcia Pereira da Silva 

Proposta: O presente Grupo de trabalho tem o objetivo de discutir e problematizar reflexões e práticas das ciências humanas, ambiente e fundamentos para uma Educação Ambiental Popular no horizonte de uma Hermenêutica Ambiental e relações com a Ecologia Cosmocena considerando as relações entre a natureza e sociedade na construção de perspectivas críticas sobre a temática em face da crise sócio- ecológico-ambiental.

08-EDUCAÇÃO, RELAÇÕES ÉTNICO-RACIAIS, HISTÓRIAS E CULTURAS AFRO-BRASILEIRAS E INDÍGENAS 

Coordenadores: Dra. Giane Vargas Escobar, Dra. Sátira Pereira Machado e Dr. Walker Douglas Pincerati

Proposta: No plano internacional, a Resolução 68/237, de 23 de dezembro de 2013, e a 69/16, de 18 de novembro de 2014, da Assembleia Geral das Nações Unidas, respectivamente, proclama Década Internacional dos Afrodescendentes: reconhecimento, justiça e desenvolvimento, que teve início em 1 de janeiro de 2015, e um amplo programa de atividades e ações a ser implementadas na Década por todos os países membros. Esse programa quer, no âmbito desses países, a adoção concreta e a efetiva implementação de instrumentos, políticas e programas de combate e eliminação do racismo, da discriminação racial, da xenofobia e da intolerância, com ênfase particular às mulheres e às crianças e jovens. Dentre as ações está a de & quot;assegurar que os livros didáticos e outros materiais escolares exprimam fatos históricos de forma acurada, no que diz respeito a tragédias e atrocidades no passado, em particular a escravidão, o tráfico de escravizados, o comércio transatlântico de escravizados e o colonialismo, de modo a evitar a perpetuação de estereótipos e a distorção ou a falsificação desses fatos, as quais podem levar ao racismo, à discriminação racial, à xenofobia e à intolerância." No plano nacional, anteriores a tais resoluções, as Leis 10.639, de 9 de janeiro de 2003, e 11.645, de 10 de março de 2008, promulgam a obrigatoriedade da temática "história e cultura afro-brasileira e indígena" no currículo oficial da rede de ensino. Este GT objetiva não só abordar tais normativas, mas sobretudo agrupar trabalhos que dão consequência efetiva a elas, tanto no que tange à história quanto à cultura negra, incluindo-se os “indígenas”, não prescindindo de uma reflexão sobre a conjuntura atual.

09-COMUNICAÇÃO, CULTURA E CONHECIMENTO CIENTÍFICO

Coordenadora: Dra. Betânia Maciel

Proposta: Tendo em vista a perspectiva aberta pelas chamadas "epistemologias do sul" e o caráter fundamental do conhecimento científico no estabelecimento de relações de poder, a proposta do grupo de trabalho é investigar e debater multidisciplinarmente os processos alternativos ou contra-hegemônicos utilizados na interface ciência-tecnologia- sociedade- inovação, tendo como focos de atenção, a comunicação e a cultura. Neste sentido, propomos a superação de conceitos como alfabetização ou divulgação científica, para englobar processos que tenham em conta uma reordenação do conhecimento científico, além da racionalidade moderna e que se baseiem em novas propostas epistêmicas e na dimensão da interculturalidade e da identidade como campo de pesquisa. Partimos portanto dos modelos de comunicação pública da ciência e da tecnologia que englobam a perspectiva da participação cidadã e do reconhecimento do conhecimento nativo (deferimento). Neste sentido, destacamos: 1. a folkcomunicação, com seus estudos e pesquisas sobre as relações e tensões sociais contemporâneas, com ênfase nas políticas e mobilizações em torno das diferenças (culturais, étnicas, de gênero, de raça, de classe, de sexualidade, dentre outras); 2. segmentos sociais alijados de direitos, culturais, políticos e de cidadania; 3. setores públicos, em suas relações com as demandas sociais no campo da segurança pública, educação e qualidade de vida. 4. a saúde e temas relevantes como os direitos sexuais e reprodutivos, a saúde da mulher e dos grupos LGBTT, a saúde pública e outros que possam ser debatidos na perspectiva dos estudos das classes subalternas.