16/09/2019

As noções de realidade psíquica e de loucura em Sigmund Freud e Jacques Lacan: considerações sobre o diagnóstico em psicanálise

A discussão entre o limite de ser ou não louco, assim como entre o que definiria a neurose e a psicose atravessa tanto a obra de Freud quanto o ensino de Lacan. Com a instigante afirmação “[…] todo mundo é louco, ou seja, delirante” (1978, p. 35), Lacan aproxima a categoria de delirante a de loucura, abrindo um percurso de investigação sobre a relação entre a loucura e o que seriam os seus fenômenos.

Pontuamos neste curso que generalizar a loucura não é, no entanto, banalizá-la, mas quer dizer que, assim como todos são tomados pelo o que Lacan denominou de real, todos precisam construir a sua própria maneira de viver diante do sem sentido que o real, nos impõe. Nesse caminho, é possível pensar em um ponto de loucura inerente ao ser falante. Isto é, considerar uma dimensão da loucura que é ao mesmo única e concernente a todos, significa também retirar a loucura do senso patológico e incorporá-la a uma dimensão do ser falante.

A proposta deste curso é, portanto, a partir da destacada citação lacaniana, percorrer os principais textos e conceitos de Freud e de Lacan, que abordam a noção de loucura, de realidade psíquica e de diagnóstico, examinando, dessa forma, as posições teórico-clínicas assumidas, por ambos autores sobre o tema, em diferentes momentos de seus respectivos percursos.

Objetivo:

Tomando a afirmativa lacaniana que generaliza a loucura como uma bússola que pode nos orientar não apenas no final do ensino de Lacan, mas também na própria obra de Freud, o pai da psicanálise, examinaremos as diferenças entre loucura, neurose, psicose e as suas respectivas realidades psíquicas no âmbito psicanalítico.

Destinatários:

Graduandos, profissionais e pós-graduandos em psicologia, filosofia ou área afim, assim como interessados na psicanálise freudiana e lacaniana.

Docente:

Profª Dra. Deborah Lima Klajnman [Currículo Lattes]

Doutora em Psicanálise pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) com cotutela em psicologia pela Université Côte d’azur (UNICE), mestre em Clínica e Pesquisa em Psicanálise pela UERJ, especialista em Clínica Psicanalítica pelo Instituto de Psiquiatria da UFRJ (IPUB) e graduada em Psicologia pela Universidade Federal Fluminense (UFF). Possui experiência em docência, psicologia clínica, saúde mental com ênfase em Psicanálise, psicologia hospitalar e assistência social. Atualmente atende em consultório particular, é professora assistente do departamento de Psicologia e Psicanálise e da especialização em Clínica Psicanalítica da Universidade Estadual de Londrina (UEL), coordenadora dos grupos ?Psicanálise e urgências sociais: política, clínica e cultura? na mesma Universidade e “Realidade psíquica e loucura em Freud e Lacan” no Corpo Freudiano do Rio de Janeiro.

Código de área do conhecimento (CNPq):

7.00.00.00-0 Ciências Humanas
7.07.10.00-7 Tratamento e Prevenção Psicológica

Palavras chave:

Psicanálise, Loucura, Diagnóstico, Neurose, Psicose.

Ementa:

[Aula 1]
Psicanálise, psicologia e psiquiatria: a questão diagnóstica e as suas principais diferenças

Objetivo:
Delimitar as diferenças entrepsicanálise, psicologia e psiquiatria, a partir da questão diagnóstica.

Bibliografia:
KLAJNMAN, D.; FERREIRA, L.; JORGE, M. A. C. A questão do diagnóstico na psicanálise e na psiquiatria. In: BARROS, Rita Maria Manso; DARRIBA, Vinícius (orgs). Psicanálise e Saúde,entre o Estado e o Sujeito. Rio de Janeiro: Cia de Freud, 2015.


[Aula 2]
O conceito de defesa em psicanálise

Objetivo:
Apresentar a importância do conceito de defesa e mecanismos de defesa em psicanálise.

Bibliografia:
Freud, S. Psiconeuroses de defesa (1894) e Observações adicionais sobre as Psiconeuroses de Defesa (1896). In: Obras completas. Edição standard brasileira das obras psicológicas completas de Sigmund Freud. Rio de Janeiro: Imago, 1969.


[Aula 3]
Introdução à psicopatologia na obra freudiana

Objetivo:
Percorrer os textos iniciais freudianos que já delimitavam diferentes categorias psíquicas.

Bibliografia:
Freud, S. Manuscrito H (Paranoia) (1895) e Manuscrito K (As neuroses de defesa) (1896). In: Neurose, psicose, perversão, São Paulo: Autêntica, 2016.


[Aula 4]
O conceito de fantasia em Freud

Objetivo:
Discutir o conceito de fantasia e de realidade psíquica no início da obra
freudiana.

Bibliografia:
Freud, S. Carta 112 (52) (1896) e carta 139 (69) (1897) In: Neurose, psicose, perversão São Paulo: Autêntica, 2016


[Aula 5]
Neurose e psicose: uma diferenciação freudiana

Objetivo:
Abordar a diferenciação entre neurose e psicose.

Bibliografia:
Freud, S. Neurose e psicose e A perda da realidade psíquica na neurose e na psicose. In: Neurose, psicose, perversão São Paulo: Autêntica, 2016.


[Aula 6]
O conceito de estrutura em Lacan e a dicotomia Fenômeno x Estrutura

Objetivo:
Discutir o conceito de estrutura e fenômenos para a psicanálise.

Bibliografia:
Lacan, J. O Seminário, livro 3: as psicoses, Lição VI e VII (1955). Rio de Janeiro: Zahar, 1998.


[Aula 7]
A realidade psíquica e sua diferenciação em Lacan

Objetivo:
Examinar a constituição do campo da realidade psíquica para Lacan.

Bibliografia:
Lacan, J. De uma questão preliminar a todo tratamento possível de psicose (1957/58). In: Escritos Rio de Janeiro: Zahar, 1998, p. 537- 590.


[Aula 8]
“Todo mundo é louco, ou seja, delirante”

Objetivo:
A partir da afirmativa lacaniana que aproxima a categoria de delirante e de loucura, retomar os principais pontos do percurso teórico apresentado durante o curso.

Bibliografia:
Transferência para Saint Denis? Lacan a favor de Vincenne. In Revista Correio 65.


Cronograma:

Inscrições:
De 12/05/2020 (Terça-feira) a 31/07/2020 (Sexta-feira)

Curso:
De 03/08/2020 (Segunda-feira) a 28/09/2020 (Segunda-feira)

+ info via WhatsApp

+ info via Facebook Messenger

Reservar vaga